Casar sem surtar – parte 1 | Da euforia à frustração (e de volta à euforia)

Hoje vamos ao primeiro post da série Casar sem surtar! 😀 Se você é uma noivinha que caiu aqui, senta que lá vem história, se você é só alguém descompromissado na vida, mas gosta de dar umas risadas com histórias, pode sentar e ler também que vai ser boa!

A série Casar sem surtar serve pra compartilhar com vocês algumas das minhas experiências e aprendizados (alguns pra bem além do casamento) durante os 2 anos que fiquei noiva, e também pra dar algumas dicas de quem já passou por tudo isso – tudo do jeito mais leve e descontraído possível! 🙂


Parte 1 – Da euforia a frustração (e de volta à euforia): Sobre noivar e cair na real

Aconteceu comigo, é verdade. Fiquei noiva quando namorávamos mais ou menos há 7 meses. Na verdade a gente já não via muito sentido em não noivar então foi meio que uma coisa mútua e natural. Não teve pedido cenográfico, teatral, mágico nem nada – foi ele olhando pra mim perguntando se eu queria casar com ele, depois de uma longa conversa do tipo “a gente deveria casar” e uma pausa pro cinema, e eu dizendo sim. Acontece que 90% de vocês que ainda vão noivar não vão passar pelo “pedido dos sonhos” como algumas meninas tem a sorte, o que não deveria importar, porque o sonho tem que ser o pedido, e não ao contrário! E não pense que essa é a parte da frustração – muito ao contrário – é a parte da euforia. A gente não tinha aliança de noivado, a gente não tinha nem dinheiro pra pipoca do cinema nesse dia, mas decidimos que estávamos noivos a partir daquele momento e isso bastou. Demoramos ainda um tempo pra contar pras pessoas, pra mudar de status no facebook, mas foram uns bons 6 meses de pura mágica, euforia e pinterest. Uma pasta de favoritos chamada de “casamento” e todos os links pra blogs e boards do pinterest possíveis. Uma lista com todas as ideias e desejos e sonhos de casamento. Parecia que tava tudo pronto e podíamos casar amanhã mesmo, só faltava fechar os fornecedores – e é aí que começa a frustração. Mal tínhamos dinheiro na época pra comprar um par de aliança de ouro, quem diria uns 10 mil pra reservar um lugar. Você vê tantos casamento lindos e surreais (mesmo nos blogs que JURAM que os casamento foram baratinhos) que você começa a jogar as expectativas pro seu grande dia lá em cima (ainda mais quando vê coisas lindíssimas nesses blogs que juram que tudo foi barato ou DIY). Você pensa que é claro que dá pra casar nessa chácara se eu comprar um vestido da china, fazer os convites, as lembrancinhas e a decoração, e pedir pra minha família cozinhar. Claro que isso seria possível, mas daí você pensa que vai perder aquela emoção e sensação de segurança de ir fazer a prova do seu vestido antes do dia, lembra que talvez não vai conseguir conciliar a vida, o trabalho e todos os DIY pro dia (as pessoas vão te oferecer ajuda, mas não acredite muito que elas vão realmente por a mão na massa pra você – mas isso é um capítulo a parte), e que talvez não seja legal fazer sua família de fato trabalhar no grande dia deles também né (ninguém quer ter que tomar um banho correndo e se arrumar nas coxas e correr o risco de chegar no altar com cheirinho de alho né?). Ai você começa a ver que não vai caber tudo que sonhou no seu orçamento, começa a pesar quais coisas são mais importantes e quais são só bobeiras, o que dá pra realmente fazer sozinha e o que não vai dar, e por aí em diante. E ainda assim – mesmo cortando tudo que não vai ser essencial e transformando em DIY algumas coisas – você vai acabar um pouco acima do que tinha imaginado gastar! Se você não é uma noiva ryca ou tem um noivo ryco, se você é uma noiva que depende do seu dinheiro e do noivo pra poder fazer a sua festa dos sonhos, e se você é uma noiva que não costuma ter sonhos simples, esse momento de cair na real com certeza vai ser uma frustração. A gente chora, a gente pensa em desistir de dar festa e casar só no cartório com um almoço pra família, a gente pensa em inúmeras alternativas que não passam nem no dedão do pé do nosso sonho, e se você se deixar levar, vai acabar tão triste que noivo nenhum vai querer casar – então calma que tem jeito!

Com muito jeitinho, dedicação, uma segurada nos gastos e talvez um freela ou qualquer outra coisa que você possa fazer no seu horário livre que gere uma renda extra (sabe fazer doces? ótimo, tá valendo!) dá pra ter um casamento legal sim! Não vou mentir e dizer que dá pra ter o casamento dos seus sonhos porque não quero frustrar você de novo, mas dá pra chegar num meio termo bom, legal, e feliz. E o mais importante disso é, não importa se você vai casar no sítio do tio da amiga da sua prima ou num castelo na Escócia – vai ser tão divertido, você vai estar tão feliz e tão cercada de amor que eu prometo pra você que o lugar, a decoração, até mesmo a banda ou DJ não vão fazer a mínima diferença, porque você não vai nem lembrar de reparar nesses detalhes no dia! Eu, particularmente, não passei horas escolhendo a decoração ou as flores (acho que foi a coisa mais rápida até porque nunca fui uma pessoa chegada em ou entendida no assunto de flores), mas imagino que existam noivinhas por aí que devem passar hooooras escolhendo quais flores vão ficar em cada mesa, e no dia nem notam! A única coisa que lembro é que elas estavam nas cores que escolhi, mas se eu disser que parei pra olhar elas de perto, ver se eram as flores certas e tudo mais, é tudo mentira! Mal quis comer de tanta felicidade, imagina parar pra notar as flores! hahahahahaha

Na verdade, esse foi o detalhe que passei mais tempo escolhendo hahahaha <3
Na verdade, esse foi o detalhe que passei mais tempo escolhendo hahahaha <3

O mais importante nessa parte da história é que você vai ir da euforia à frustração sim, muito provavelmente! Mas a frustração não é pra sempre. Se permita curtir essa sua “fossa” de “não vou ter um casamento de pinterest” se ela existir, mas curta ela por uma semana ou duas. Não prolongue ela até porque nada de bom vai sair daí. Quando terminar de lamentar as coisas, parta pro lado prático! Vá atrás de orçamento de lugares acessíveis, peça dicas de lugares e fornecedores pra quem já casou. Mande muitos emails, faça muitos telefonemas. Faça o que precisar pra começar a correr atrás do casamento possível, só não vale ficar parada! 🙂 Prometo pra você que a frustração vai passar, você vai estar mais madura sobre o casamento quando isso acontecer, e se seu noivo for lindo como o meu, te apoiar nessa fase e te dar todo o espaço do mundo dele pra você reclamar e chorar sem sair do seu lado – e ainda te fizer ver, naquele seu momento mais fútil que o que importa é o amor – vocês dois vão começar a próxima fase mais unidos ainda!

Ainda haverá uns momentos de desespero e talvez um pouco de frustração no futuro, com fornecedores, com amigos, com família – com qualquer um que possa estar envolvido – mas depois do primeiro “tombo” você tende a lidar com tudo de forma mais suave e tranquila. Meu primeiro fornecedor de comida simplesmente sumiu por dias – e só reapareceu quando falei que ia cancelar (e ainda me falou que eu quem deveria ter entrado em contato e corrido atrás), tive que cancelar e daí por tabela desistir da ideia do lugar que eu iria casar. Basicamente: recomeçar do zero. Mas tudo isso só fortaleceu os planos e me fez ver as coisas com outro ponto de vista.

Em resumo: essa fase pode ser uma droga e uma maravilha, as vezes as duas coisas ao mesmo tempo – e é isso que faz ela ser tão fenomenal e única! Então aproveite, absorva, e não deixa as coisas ruins arruinarem seu momento! 😉

Continue Reading

Não o fim que queríamos, mas o fim que precisávamos.

Por quêêê?

E mais um blog meu chegou ao fim (se vocês estão me acompanhando sim, to falando do Tirei 20 no Amor). Expliquei já no último post que ele termina pra podermos começar esse novo projeto – muito mais mágico e abrangente – que é o Maneirices! Pra quem não acompanhou, o Tirei 20 era pra relatar minhas experiência de noivado e planejamento do meu casamento – e agora que casei, a vida se tornou muito mais que isso! Então vamos começar pelo fim? 😀

Agora é Maneirices!

Hoje oficialmente lanço pra vocês esse meu cantinho, que – no mais brega-blog-anos-2000 – está em constante construção (brincadeira gente, mas ainda estamos trabalhando na versão 1.0 do layout do Maneirices, aguardem)! Sou mais uma blogueira, dessa blogosfera linda, tentando resgatar o prazer de escrever e falar sobre meu cotidiano e as coisas que tenho interesse, como todos nós fazíamos quando criamos nossa primeira conta no weblogger ou no blogspot. O Rotaroots é um grupo com o intuito de unir essa nossa “geração” e os adeptos, que blogam por amor e blogam por uma blogosfera com menos ~cagação de regra~ e mais diversão, felicidade e conteúdo bem escrito – e que me inspirou a dar continuidade a esse projeto!

E o que esperar?

Além da programação normal, nas próximas semanas vou postar a série “Casar sem surtar“, um fechamento oficial ao Tirei 20 no Amor, contando sobre todas as experiências que tive durante os 2 anos que fiquei noiva, organizei meu casamento e (ufa!) casei! Uma série de posts divertida de ler pra quem ainda não pretende de casar e, espero eu – útil, pra quem está noiva!

Então me abracem que está dada, oficialmente,  a largada ao Maneirices <3

Continue Reading

Começando novos projetos.

Não, não abandonei o Tirei 20 no amor. Ele, na verdade, evoluiu pra uma parte enorme dos meus projetos. Tão enorme que o nome já não fazia mais jus ao projeto. 2015 começa, meus 26 anos começam em alguns dias, e nada melhor do que por em prática (antigos) projetos. O Maneirices vem pra tomar lugar de todas as coisas boas – e mais um pouco – que o Tirei 20 trazia. O amor, a felicidade e os sorrisos contnuam presentes. A inspiração também. E agora trago mais um pouco do que amo: costura!

Novidades!

 

Esse ano vai ser um ano cheio de novidades, cheio de projetos e cheio de energia! Espero que vocês estejam por perto pra acompanhar <3

 

Continue Reading